Potencial de Atuação da Lemeterapia na Fibromialgia

Segundo a pesquisa feita para o Ministério da Saúde em 2001 pelo Instituto Nacional de Prevenção às LER e DORTs e do Datafolha, 300.000 trabalhadores que moram em São Paulo, capital, possuem LER ou DORT e outros 508.000 correm risco de desenvolver estes acometimentos. São aproximadamente 6% dos empregados com esses tipos de lesões e outros 10% que trabalham em funções que os expõe a alto risco.

Segundo pesquisa feita pela USP em 1995, 32,3% dos brasileiros convivem com algum tipo de dor crônica, o que atualmente se estimaria perto de 61 milhões de indivíduos, sendo que 73,1% destes casos são de origem miofascial (dores musculares e nas fáscias). Ou seja, são 44,6 milhões de pessoas com REAs – Reumatismos Extra articulares não infecciosos – portanto perfeitamente tratáveis pela Lemeterapia.
Outras estatísticas internacionais afirmam que cerca de 80% das pessoas adultas têm ou terão, ao menos uma vez na vida, lombo-ciatalgia (dores ciático-lombares). E em 40% dos casos ela se tornará crônica, sendo que 15% destes terão suas vidas muito modificadas devido aos severos sintomas. Os casos agudos e crônicos são tratáveis pela Lemeterapia.
Segundo algumas pesquisas dos países ocidentais, cerca de 15% das consultas reumatológicas são casos de Fibromialgia e 41,2% são de outros Reumatismos Extra articulares tais como: tendinites, bursites, mialgias regionais, localizadas, generalizadas, neuropatias mio-compressivas, entre outros.
Estima-se que no Brasil cerca de 4% da população tenha Fibromialgia, segundo pesquisa da Ufesp. 2004
A Organização Mundial da Saúde afirma que, entre as dores, as das costas são as mais frequentes nas queixas dos pacientes. Em segundo lugar vêm as dores nas articulações: joelhos, tornozelos, cotovelos e ombros. Em terceiro, aparecem as dores de cabeça. Em quarto lugar, as dores musculares. Sendo que as dores nas costas e as musculares são normalmente tratadas de forma muito eficaz pela Lemeterapia. Lembrar que as dores de cabeça tencionais e as dores nas articulações – quando têm a causa nas estruturas Peri articulares também são tratadas com certa facilidade pela técnica.

Potencial

Como é possível notar, há um número imenso de pessoas necessitando de tratamento. Tanto os casos agudos como os crônicos aqui citados têm a possibilidade de rapidamente se restabelecerem com o emprego da Lemeterapia – com altos índices de satisfação. Ao se ter o domínio de tal técnica terapêutica se conta com um instrumento que irá atender uma enorme lacuna nos meios terapêuticos, pois é de conhecimento de todos a dificuldade que os tratamentos convencionais têm para tratar principalmente os casos crônicos de REA acima de dois anos.

Portanto, aqueles que disponibilizarem à população esta técnica estarão na vanguarda e atenderão as reais necessidades dos portadores de REA, que são contados aos milhões no Brasil e no mundo.
Outro parâmetros que podemos nos basear para avaliar o potencial de atuação é o quanto o Leme Instituto Terapêutico e a Lemeterapia são recomendados pelos clientes já atendidos. Quando alguém com um caso crônico se submete à terapia, em média três novas indicações chegam em curto prazo e mais cinco a oito no longo prazo, demonstrando o alto índice de satisfação desses clientes.
Portanto, pode-se concluir que a Lemeterapia tem muito a expandir e que em breve tempo ela estará fazendo parte do cotidiano terapêutico de uma grande parte da população que dela necessitar.

Objetivos do Leme Instituto Terapêutico

Unidades Leme Instituto

Temos unidades de norte a sul do Brasil,  e também na Espanha.

Entramos em Contato

Se preferir ligue, nos passe seu telefone e operadora que retornaremos para você.

Utilize os telefones abaixo para falar conosco ou clique em contato

11 4033-1787 – FIXO
11 95497-1330 – TIM
11 96050-0170 – OI
11 97220-0170 – VIVO
11 99761-0280 – CLARO